Prana

Jacqueline Farid

Ambientado na Índia, este novo romance de Jacqueline Farid leva a protagonista até a Ásia em busca do pai

  Uma narrativa que mistura relato de viagem e ficção, com cenários belíssimos em um dos países mais encantadores e instigantes do mundo, a Índia. Prana viaja de Ouro Preto, sua terra natal, para a Índia onde empreende uma rota sagrada em busca do pai. A jornada da protagonista tem origem na futurista Dubai e passa por Nova Delhi, pelas maravilhas do Taj Mahal, pelos templo de Khajuraho, pelo budismo de Bodhgaya, pela yoga de Rishikesh e pelos crematórios de Varanasi, num percurso de descobertas que inclui sexo e repulsa, encontro e separação, medo e coragem, afeto e decepção, suspense e clímax, vida e morte.
Saiba mais

$26.90

Ambientado na Índia, este novo romance de Jacqueline Farid leva a protagonista até a Ásia em busca do pai

 

Uma narrativa que mistura relato de viagem e ficção, com cenários belíssimos em um dos países mais encantadores e instigantes do mundo, a Índia.

Prana viaja de Ouro Preto, sua terra natal, para a Índia onde empreende uma rota sagrada em busca do pai. A jornada da protagonista tem origem na futurista Dubai e passa por Nova Delhi, pelas maravilhas do Taj Mahal, pelos templo de Khajuraho, pelo budismo de Bodhgaya, pela yoga de Rishikesh e pelos crematórios de Varanasi, num percurso de descobertas que inclui sexo e repulsa, encontro e separação, medo e coragem, afeto e decepção, suspense e clímax, vida e morte.

Características

Autor: Jacqueline Farid
ISBN: 978-65-5079-015-8
Editora: Páginas Editora
Ano de publicação: 2020
No de páginas: 180
Edição: 1ª edição
Língua: Português (Brasil)
Dimensões: 22.9 x 15.6

Mais sobre o livro

 “A lembrança é sempre um pouco inventada”

 
Ao viajar pela Índia, em 2018, Jacqueline Farid colheu material para escrever o livro, cuja escritura teve início logo que retornou ao Brasil. A obra conta com elementos da vivência, das experiências de viagem que se misturam a personagens fictícios. O desafio, para o leitor, é imaginar o que é ficção ou realidade.   “Não dá pra dizer o que é verdade ou ficção, porque a graça da brincadeira é exatamente mesclar as duas coisas, sem que o leitor saiba o que é realidade e o que não é. Eliminar ou ocultar a tênue fronteira entre ficção e realidade é um exercício instigante pra mim. Mas as informações sobre os locais visitados, sobre a Índia na visão de um viajante, são parte de um relato de viagem que também me interessa, de apresentar esse maravilhoso país ao leitor a partir dos olhos dos personagens”.   O nome Prana foi inspirado na yoga, atividade que a autora pratica desde 2001. No livro, é o nome da protagonista, uma mulher que sai de Ouro Preto em busca do pai, numa jornada que envolve também a descoberta de si e de muito sobre outra cultura. A protagonista percorre várias cidades indianas — Nova Delhi, Agra, Khajuraho, Varanasi, Rishikesh. Esses espaços, e os costumes locais, são descritos pela autora, o que faz com que o livro tenha também essa característica de narrativa de viagem.      
  • Sobre a Autora
  Jacqueline Farid - fotografia do acervo pessoal da autora para biografia da mesma para a Buobooks.com - livro Prana   Jacqueline Farid nasceu em Itabirito (MG), morou em Belo Horizonte por quase duas décadas e há 20 anos vive no Rio de Janeiro. Jornalista, já trabalhou em diversas publicações, como Folha de São Paulo e O Estado de São Paulo e, atualmente, é assessora de comunicação. Como escritora, transforma experiências de viagem em narrativas que mesclam ficção e realidade. Além de Prana, lançado em março de 2020, publicou os livros No Reino das Girafas (Jaguatirica), romance inspirado em três viagens à Namíbia, e Rio em Transe (Casa do Escritor, em parceria com Julio Bueno), sobre o trabalho de comunicação na crise financeira do Estado do Rio. No momento, escreve um novo romance a partir de viagem realizada, em 2019, ao Líbano e Jordânia.    
 

Buobooks Livros que voamLivros em português com frete grátis para mais de 100 países!

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Prana”