El Gran Capy

Patrícia Iunovich

As fantásticas aventuras de um motociclista na Muralha da Morte

 
  Até parece ficção, mas é tudo verdade. De maneira imparcial e sensível, a jornalista Patrícia Iunovich narra neste “El Gran Capy”, cheio de fotos, a incrível e triste história de seu pai às vezes desalmado, Antônio Francisco Iunovich. Argentino que fugiu do Exército, ele mudou de nome e se tornou um mito no Brasil, graças às loucas acrobacias que dos anos 1960 a 90 fazia em globos e muralhas da morte, em circos, como o Orlando Orfei, e parques de diversão pelo país afora e pela América do Sul. Sedutor, vivaldino, mulherengo, Capy tinha um quê de Leléu, da peça Lisbela e o prisioneiro, de Osman Lins, adaptado para o cinema por Guel Arraes. Sofria acidentes, caía e se levantava. “Sentia-se imortal, um super-herói.” Uma história inquietante.
Saiba mais

US$21.00

As fantásticas aventuras de um motociclista na Muralha da Morte

 

 

Até parece ficção, mas é tudo verdade. De maneira imparcial e sensível, a jornalista Patrícia Iunovich narra neste “El Gran Capy”, cheio de fotos, a incrível e triste história de seu pai às vezes desalmado, Antônio Francisco Iunovich. Argentino que fugiu do Exército, ele mudou de nome e se tornou um mito no Brasil, graças às loucas acrobacias que dos anos 1960 a 90 fazia em globos e muralhas da morte, em circos, como o Orlando Orfei, e parques de diversão pelo país afora e pela América do Sul. Sedutor, vivaldino, mulherengo, Capy tinha um quê de Leléu, da peça Lisbela e o prisioneiro, de Osman Lins, adaptado para o cinema por Guel Arraes. Sofria acidentes, caía e se levantava. “Sentia-se imortal, um super-herói.” Uma história inquietante.

Características

Autor: Patrícia Iunovich
ISBN: 978-85-8130-377-2
Editora: Geração Editorial
Subtítulo: As fantásticas aventuras de um motociclista na Muralha da Morte
No de páginas: 176
Língua: Português (Brasil)
Dimensões: 23.4 x 15.6

Mais sobre o livro

Sobre a autora:  PATRÍCIA IUNOVICH é jornalista, formada pela Universidade de Ribeirão Preto, SP. Mora desde os 21 anos em Foz do Iguaçu, na fronteira com o Paraguai e a Argentina. Hoje na assessoria de imprensa da usina Itaipu Binacional, Patrícia foi repórter do jornal O Estado do Paraná e colaborou com O Estado de S. Paulo. Foi também professora universitária no curso de jornalismo da faculdade UDC. Acalentava desde menina o sonho de ser escritora, e quando perdeu o pai sentiu a necessidade de contar um pouco da história dele e de sua família, em suas andanças com parques e circos pelo Brasil, Argentina e Uruguai. Antes deste livro, publicou uma matéria de memórias sobre Capy na revista Piauí, que se tornou uma espécie de resumo do que conta agora. A “menina do parque” ficou adulta, casou-se, teve filhos, mas continua a ver o mundo com olhar de adolescente cigana: um pouco desconfiado, mas extremamente honesto.

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “El Gran Capy”